pagina inicial Petrobras
Tartarugas Marinhas
Visite o Tamar
O que fazemos
Onde estamos
Mais informações

10ª Primavera dos Museus mostrou como a tartaruga movimenta a cultura e a conservação

29/09/2016 - Museus, Memória e Economia da Cultura. Leia mais. ↓

10ª Primavera dos Museus mostrou como a tartaruga movimenta a cultura e a conservação

Oceanário de Aracaju

De 19 a 25 de setembro, o Projeto Tamar participou da 10ª Primavera dos Museus. Com o tema 'Museus, Memórias e Economia da Cultura', esta edição teve programações especiais nos Museus a Céu Aberto da Tartaruga Marinha. Todos os anos, integram os eventos propostos pelo Instituto Nacional de Museus (IBRAM), e juntos já receberam mais de 15 milhões de visitantes. Em 2016, exposições e atividades especiais mostraram como o trabalho de conservação das tartarugas marinhas no Brasil gera serviços e recursos, possibilita a inclusão de setores da população local na economia formal e permite a valorização das tradições culturais de cada lugar.

Embora se trate de uma questão biológica, o trabalho de conservação ambiental também depende de componentes sociais, culturais e econômicos. Esta integração entre o Tamar e as comunidades adjacentes resulta em novos acordos, que melhoram a qualidade de vida através de postos de trabalho e fomento ao senso de cidadania. O Tamar e todas as pessoas que vestem a camisa da causa ajudam a promover muito mais do que desenvolvimento socioeconômico: criou-se nas comunidades uma nova mentalidade, pois uma tartaruga marinha passou a valer muito mais viva do que morta. Saiba como foi e veja alguns momentos especiais em Pernambuco, Sergipe, na Bahia, no Espírito Santo, em São Paulo e Santa Catarina:

Sergipe

No dia 19, foi inaugurada a exposição As Tartarugas Marinhas e a Memória da Cultura de Sergipe, que mostra as atividades culturais e de inclusão social realizadas pelo Tamar. Durante a semana, oficinas infantis foram realizadas, objetos foram construídos com uso de materiais recicláveis, remetendo à memória e economia cultural das comunidades costeiras do estado. Também teve uma mostra de vídeo durante a semana, com os curtas Donas do Bordado, Feito por Nós, Culturarte e Confecção Pirambu. As festividades foram encerrada com o Pôr do Sol dos Museus, uma atividade do Sistema Estadual de Museus (SIEM/SE), com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secut), realizada no sábado, 24 de setembro. Na programação teve mostra fotográfica dos Museus de Sergipe, apresentação musical da Filarmônica Nossa Senhora da Conceição de Itabaiana e dos grupos culturais Burundanga Percussivo e Penerou Xerem.  Na ocasião também aconteceu uma explanação do projeto “Frutos da Ilha” com roda de conversa pela Sociedade para o Avanço Humano e Desenvolvimento Ecosófico (SAHUDE) de São Cristóvão.

Bahia

Na Praia do Forte, teve a exposição "Tartaruga Movimenta Cultura e Conservação", mostrando o ciclo socioprodutivo que integra as pessoas na conservação das tartarugas marinhas, gera serviços e recursos, possibilita a inclusão de setores da população local na economia formal e permite a valorização das tradições culturais de cada lugar. Teve também Teatro de Fantoches dos Tamarzinhos, Coral do Mar regido por seu maestro, o professor Luciano Calazans, Serenata do Tamar com Xangai e participação de Mateus Aleluia, e uma apresentação do Grupo de Capoeira Esporão.

Pernambuco

Em Fernando de Noronha, a 10ª Primavera dos Museus coincidiu com as atividades de comemoração dos 28 anos do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, que foram apoiadas e organizadas em conjunto com o Projeto Tamar. A abertura do evento ocorreu no Museu Aberto da Tartaruga Marinha, dia 14/09 (quarta) com: Apresentação do Grupo Maracatu Nação Noronha; Dj Juju Boldrox; Solenidade; Premiação dos melhores condutores de turismo do parque; Exposição Fotográfica “Nós no Parque”; Sorteio de produtos do Projeto Tamar e show da Banda Trupe Cais do Porto. No dia 15/09 (quinta), no auditório do Tamar, ocorreu uma apresentação de capacitação sobre Qualidade e Monitoramento de Ambientes Costeiro, com a pesquisadora Maria Cristina de Araújo UFRN (manhã), e Mesa redonda “Lixo Marinho e Resíduos Sólido Urbano em Noronha”, com a participação da pesquisadora Andréia de Lima Oliveira USP (a tarde). No dia 16/09 (sexta), no Tamar foi realizada uma apresentação do Grupo de Capoeira Meia Lua Inteira. E para finalizar a programação dia 17/09 (sábado), foi realizado o Clean Up Day, mutirão de coleta de lixo nas praias de Fernando de Noronha.

Espírito Santo

Exposição fotográfica "Manguezal Múltiplos olhares", cedida pela Gerência de Educação Ambiental da SEMMAM, com quadros aquarelados do artista Rogerio Dalmonech. As crianças adoraram auxiliar na alimentação interativa das tartarugas marinhas. A visita guiada especial destacou os pontos turisticos que vemos do mirante e a cultura da região, ressaltando a importância da sensibilização em relação à proteção das tartarugas marinhas e do meio ambiente. Teve vídeo do Núcleo de Memória Audiovisual Cacaes: Dona Marocas, história da primeira desfiadeira de siri das Caieiras, produzido pelo ponto de cultura Manguerê. Teve a exibição do documentario de Fábio Carvalho: O Congueiro do santo preto, História do Mestre Antonio Rosa, responsável pela festa de são Benedito na Serra por 50 anos. Teve também a apresentação da “Banda de Congo Mirim da Ilha.

São Paulo

A Exposição fotográfica “Gente do Mar” da pesquisadora Kilza Setti teve início no começo do mês de setembro e teve sua agenda estendida para a Primavera dos Museus. A exposição retrata o modo de vida das comunidades tradicionais do Litoral Norte de SP. Nos dias 22 e 24, o Mestre Canoeiro José Firmino, conhecido por “Zé Cobra” ministrou duas edições da oficina “Como se faz um Remo Caiçara”. Caiçara do Camburi, artesão, carpinteiro, tem no fazer dos remos seu ganha pão e forma de passar um pouco do seu ofício e sua tradição para as pessoas. No dia 22 a oficina contou com a participação dos alunos da Escola Profª Altimira Silva Abirached, bem como para os visitantes que estavam passeando pelo local. Os alunos aprenderam sobre a melhor madeira para fazer remos e todas as etapas até o produto final. Dia 24 a oficina foi aberta aos visitantes que passeavam pelo Tamar. Também no dia 24 de setembro, aconteceu a oficina “Como se faz uma Rede de Pesca” ministrada pelo Caiçara Lucas Borsatto. Pescador, ofício e tradição, passado de pai para filho de geração em geração, o fazer da rede, de como fazê-la afundar ou boiar mais, bem como saber utilizar a rede certa para o peixe certo foi passado para os visitantes que passeavam no Tamar neste final de semana. Dias 24 e 25, os índios Guarani da aldeia Boa Vista de Ubatuba, estiveram presentes no Centro de Visitantes e trouxeram uma Exposição de Artesantos Indígenas bem como artesanato para venda.

Santa Catarina

No Museu Aberto da Tartaruga Marinha, em Florianópolis/SC, a 10ª Primavera dos Museus contou com diversas atividades abertas ao público. Todos os dias, as crianças puderam interagir com as tartarugas participando da Hora do Banho e nos finais de semana puderam participar da alimentação interativa, auxiliando o tratador na hora da alimentação das tartarugas. Nas visitas guiadas, realizadas duas vezes por dia, o tema abordado foi o trabalho do Projeto Tamar com os grupos produtivos e as lojas, ligando o tema da conservação das tartarugas marinhas ao tema do evento, Museus, Memórias e Economia da Cultura. No sábado, uma tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata) foi solta com a presença de cerca de 300 visitantes, entre moradores da comunidade e turistas. No domingo, foi realizada uma apresentação cultural com o Grupo de Capoeira No Passo da Tartaruga. 

Tartaruga Oliva

Florianópolis - SC

Centro de Visitantes

Mais informações - Visualizar informações anteriores

Petrobras