pagina inicial Petrobras
Tartarugas Marinhas
Visite o Tamar
O que fazemos
Onde estamos
Mais informações

Pesquisa sobre tartarugas marinhas é selecionada para a final do Science Slam Brasil

19/10/2015 - Ciência acessível a todos. Leia mais. ↓

O projeto "Tartarugas marinhas híbridas da costa brasileira" da professora do Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Maíra Proietti, foi selecionado entre os cinco finalistas a apresentarem suas pesquisas no concurso de divulgação científica Science Slam Brasil, no dia 22 de outubro de 2015, com transmissão ao vivo pela internet. A professora trabalha há mais de dez anos com pesquisa e conservação de tartarugas marinhas, tendo o TAMAR como parceiro. O vídeo enviado para a candidatura pode ser visto no Youtube (abaixo) e as pessoas poderão votar na melhor apresentação.

Entre outras linhas de pesquisa, Maíra trabalha com ecologia molecular de tartarugas marinhas, principalmente estudos populacionais. O projeto com as tartarugas híbridas surgiu em 2012, quando se deparou com animais híbridos nas amostras de tartarugas-de-pente (Eretmochelys imbricata) imaturas que coletou para o doutorado. O TAMAR participou fornecendo as amostras e também auxiliou na análise, interpretação e discussão dos resultados. O projeto ainda está em andamento no Laboratório de Ecologia Molecular Marinha da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), sob coordenação da professora. O objetivo da pesquisa é estudar a distribuição, ecologia e sobrevivência das tartarugas marinhas híbridas para entender se o hibridismo é prejudicial a elas e ajudar na elaboração de estratégias de manejo destes animais, explica Maíra.

Hibridismo em tartarugas marinhas na costa brasileira: uma análise genética, ecológica e comportamental é a pesquisa em curso no TAMAR desde 2011 para entender o processo de hibridismo entre as espécies cabeçuda+de-pente (Caretta caretta + Eretmochelys imbricata), e cabeçuda+oliva (Caretta caretta + Lepidochelys olivacea). O estudo é fruto da tese de doutorado de Luciano Soares, em finalização no Archie Carr Center, com orientação da Dra. Karen Bjorndal e o Dr. Alan Bolten do departamento de biologia da Universidade da Flórida, e com a colaboração da Dra. Eugenia Naro-Maciel do College of Staten Island. A pesquisa amplia o conhecimento sobre a relação entre essas espécies, além de esclarecer algumas curiosidades sobre o deslocamento dos animais após a reprodução e o comportamento em áreas de alimentação.

Votação - A grande final do Science Slam Brasil ocorrerá na Casa da Ciência (UFRJ), no Rio de Janeiro, no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2015). Cada um dos 5 finalistas fará uma apresentação do seu trabalho, em inglês ou em português, com duração de até 10 minutos. Os finalistas serão avaliados com base em sua capacidade de capturar a atenção da audiência com uma apresentação precisa, acessível e original do seu tema de pesquisa.

Para ver as apresentações ao vivo, antes é preciso se inscrever aqui -
https://scienceslambrasil.splashthat.com/

e no dia 22, a partir das 18 horas, para assistir as apresentações e votar, acesse aqui -
ttps://www.youtube.com/user/EuraxessLinksBrazil

Maíra conta que a importância de estar na final, e de toda a competição, vem da necessidade de transmitir informações científicas de uma forma acessível a todos. Tendemos a usar sempre uma linguagem mais técnica e formal para falar dos nossos projetos, e a competição incentiva achar outras formas criativas e simples de mostrar nossas descobertas. É a primeira vez que faço um vídeo desse tipo, e com certeza não será a última!

Veja o vídeo selecionado:

Projeto TAMAR

Criado há 35 anos, o Projeto TAMAR é uma cooperação entre o Centro Tamar/ICMBio e a Fundação Pró-TAMAR. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha do mundo, seu trabalho socioambiental, desenvolvido com as comunidades costeiras, serve de modelo para outros países. Desde 1983, o Projeto TAMAR tem o patrocínio oficial da PETROBRAS, através do programa PETROBRAS Socioambiental; o apoio do Bradesco e nos nove estados brasileiros onde atua, recebe diversos apoios locais.

Tartaruga Verde ou Aruanã

Praia do Forte - BA

Centro de Visitantes

Mais informações - Visualizar informações anteriores

Petrobras