Home
Sea Turtles
Visitors
Student
Communities
Press

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Read more

Newsletter Release

Maestro Felipe Prazeres da OPES participa de soltura de tartaruga marinha

25/10/2017 - A tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) foi para o mar sob aplausos e alegria de quem conviveu com ela. Leia mais. ↓

Veterinária do TAMAR Thaís Pires e maestro Felipe Prazeres

O maestro Felipe Prazeres da Orquestra Petrobras Sinfônica teve o privilégio de se despedir da tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) junto com o público e a equipe que cuidou dela e acompanhou todo seu desenvolvimento. Ainda um "filhotão", pois as tartarugas marinhas levam de 30 a 35 anos para atingir a idade adulta, a fêmea de 5 anos terá toda uma vida pela frente, cheia de ameaças, uma imensidão azul para conhecer e um papel ecológico a cumprir. 

Ameaças - As atividades humanas provocam impactos em todos os estágios do ciclo de vida das tartarugas marinhas, desde a perda de áreas de desova e dos habitats até a mortalidade na costa, por redes, e em alto-mar, pela atividade industrial. Redes de pesca, anzóis, degradação de áreas de desova, fotopoluição e a poluição dos oceanos, além das mudanças climáticas, são os principais inimigos das tartarugas e podem interromper a chance de recuperação das cinco espécies que ocorrem no nosso país. No verão, quando as tartarugas estão em plena reprodução, aumenta a quantidade de pessoas nas praias e junto ao crescimento de áreas urbanas e da implantação de empreendimentos turísticos no litoral causam impactos às condições naturais das áreas de desova e de alimentação de tartarugas marinhas.

Papel ecológico - As tartarugas marinhas fazem parte de uma cadeia de relações ecológicas fundamental para o desenvolvimento e sobrevivência de todo o ecossistema que inclui as praias, as dunas e os oceanos. Durante sua longa existência, cada tartaruga marinha leva e traz toneladas de nutrientes e energia vital à sobrevivência de diversas formas de vida. Das tartarugas marinhas depende a existência de uma infinidade de peixes, crustáceos, moluscos, esponjas, medusas. 

O Projeto TAMAR começou em 1980 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil. Com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, hoje o Projeto é a soma de esforços entre a Fundação Pró-TAMAR e o Centro Tamar/ICMBio. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

Saiba como foi a apresentação da Orquestra Petrobras Sinfônica nesta noite de comemoração pelos 35 anos do TAMAR com a Petrobras.

Turtle de couro ou gigante

-

Visitors Center

More information - View previous information